Ex-combatentes da FEB: uma visita de reconhecimento !!!

7Na manhã desta segunda feira, 11, esteve em visita às instalações militares de Caçapava, um grupo formado por representantes da Sociedade Amigos da 2ª Divisão do Exército,  e do Monumento Votivo Militar Brasileiro, representandos pelo Coronel Edvard Cavalcanti Leite e srs. Mário Pereira e conselheiro Cadorno Sabatino Augelli, respectivamente, os quais, em companhia do General de Brigada Wiiliam Georges Felippe ABRAHÃO, comandante da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) e do Tenente Coronel José JACAÚNA de Souza Neto, comandante do 6º Batalhão de Infantaria Leve (Aeromóvel), estiveram em visita ao Museu do Expedicionário, nas dependências do 6º BiIL Aer, ao Mausoléu dos Expedicionários no Cemitério Municipal, seguindo logo após, ao Centro Cultural de Caçapava, onde participaram de uma visita especial às viaturas militares recentemente incorporadas ao Museu Roberto  Lee.

sta ocasião, foram recebidos pela Secretária de Cultura Sra. Silmara Diniz e do Coordenador do Museu Roberto Lee, Marcelo Bellato, que os acompanharam para a visita às viaturas militares, além dos demais veículos parte integrante do acervo hoje em poder da municipalidade.

Na oportunidade o sr. Marcelo Bellato, fez um rápido relato do histórico recente do acervo, bem como da incorporação dos veículos militares, que acabaram criando uma nova ala dentro do museu, que em breve estará exposta à visitação pública!

A seguir foram recepcionados pela Secretária Silmara, para um café em seu gabinete, onde puderam conhecer os trabalhos culturais realizados pela administração Henrique Rinco!

Mário Pereira, 49 anos, cidadão italiano nascido em Pistóia, é filho do Sargento brasileiro Miguel Pereira, nascido em 9 de junho de 1918 na cidade de Pulador, RS – arredores da cidade de Passo Fundo, um dos integrantes da FEB na Itália, onde ocupava a função de operador de rádio no Comando Central das tropas brasileiras.

Mário, num português corretíssimo, mas salpicado com o tradicional sotaque italiano, nos disse que seu pai, herói militar brasileiro falecido recentemente, conheceu sua mãe, a jovem italiana Giuliana Menechini, quando tinha 27 anos, em 1944 durante a guerra, ao instalar uma antena de rádio-comunicação militar nas imediações da casa onde ela vivia na época, nesta mesma região da Toscana.

Foi um amor à primeira vista e ambos se apaixonaram, mas com o fim da guerra, o Sargento Miguel Pereira teve que voltar ao Brasil com as tropas onde servia e, portanto, separaram-se.

Os pais de Giuliana, que na época tinha apenas 17 anos, não permitiram que sua filha viajasse ao Brasil junto com outras 54 mulheres italianas que haviam se apaixonado e se ligado aos soldados brasileiros que serviam na região.

Mesmo à distância, os dois decidiram se casar por procuração, mas não demorou muito para que os altos oficiais expedicionários com quem Miguel tinha servido nos campos de batalha na Europa se sensibilizassem com o fato, e convidaram o Sargento Miguel Pereira a retornar à Itália para ser o guardião do Cemitério Militar Brasileiro em Pistóia, logo após o fim da guerra.

Deste reencontro nasceu Mário, nosso contador de histórias, que é um profundo conhecedor dos assuntos ligados ao Brasil em solo italiano.

O Sargento Miguel foi o guardião do Cemitero dei Brasiliani até 2003, quando faleceu, passando esta tarefa para o filho Mário Pereira, que desde menino esteve presente nas narrações do pai sobre os acontecimentos durante os anos de guerra.

Mário nos conta que os fortes laços de amizade entre os italianos e brasileiros, na verdade começam com a imigração italiana para o Brasil, no fim dos anos 1800, mas tiveram um grande impulso com a vinda das tropas brasileiras que aqui lutaram, pois, de todos os soldados que aqui passaram, os brasileiros foram aqueles que mais deixaram respeito e amizades.

Conta-nos que, além da bravura demonstrada em campos de batalha, os soldados brasileiros dividiam sua comida juntamente com todos os italianos famintos e castigados pela guerra e pela terra arrasada, numa atitude completamente diferente dos exércitos ingleses e americanos, que simplesmente não dividiam nada, ou dividiam apenas com as mulheres, com intenções escusas…

Por isso, não raro se vêem várias placas de agradecimentos e homenagens aos soldados brasileiros em várias das cidades por onde eles passaram, testemunhado por nossa reportagem em visita pelas cidades da região. Lembranças daquele tempo são ainda narradas pelos habitantes mais antigos desta bonita região da Itália, ia numa grande demonstração de carinho e admiração por nossos combatentes. Estes anciãos de hoje se lembram de seus duros tempos de criança e dizem hoje que devem suas vidas aos soldados brasileiros.

O Ítalo-brasileiro Mário Pereira guarda muitas lembranças do Brasil, sua segunda pátria, terra de seu pai-herói. Quer tornar mais abrangente a presença da cultura brasileira em solo italiano e preservar a memória dos bravos combatentes. Para isto está investindo na montagem de um museu sobre a participação brasileira na II Guerra Mundial e está colecionando peças e objetos de soldados brasileiros da FEB, como armas, botões, divisas, objetos pessoais, capacetes, uniformes etc. Além do museu, Mário quer também promover um evento cívico no dia 7 de Setembro e convidar todos os brasileiros da Itália e da Europa a participarem, pois, segundo ele, a FEB deixou uma marca muito forte na Itália, que tem que ser preservada.

A Sociedade Amigos da Segunda Divisão de Exército (SASDE) foi fundada em 10 de dezembro de 1992. A sua sede está localizada no Quartel-General do Comando Militar do Sudeste. É uma Instituição de caráter Social, Cultural, Recreativo e Desportivo, com mais de 800 associados que se integram com o Exército Brasileiro. A SASDE tem como objetivo realizar o elo de união e integração entre a Família Militar e a Comunidade Civil.

Cada vez mais, desenvolve, a convivência amiga e fraterna entre seus associados civis e militares, estimulando o espírito social entre os seus integrantes. No seu trabalho diário cultua os valores éticos e morais que embasam o Exército Brasileiro. Há 14 anos edita uma Revista que divulga as atividades Militares das Organizações Militares de São Paulo, bem como, as de seus associados e familiares. A SASDE cultiva valores cívicos e patrióticos ao Exército Brasileiro e ao Brasil.

O Monumento Votivo Militar Brasileiro, em  Pistóia, Itália, representa o maior e mais significativo símbolo do sacrifício e do valor do soldado brasileiro que combateu na Campanha da Itália durante a 2ª Guerra Mundial, e foi, inicialmente, representado pelo cemitério militar brasileiro que, depois do translado dos corpos para o Monumento ao Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Rio de Janeiro, permaneceu sob a cura da Embaixada do Brasil/Aditância do Exército, tornando-se bela praça de culto à memória da Força Expedicionária Brasileira (FEB).

Invalid Displayed Gallery